Carisma, trabalho, integridade e respeito. Existe algum político brasileiro com todas estas qualidades?

Sim, existe.

Ele se chama Olívio Dutra, o Galo Missioneiro. Candidato a Senador da República. É a chance dos gaúchos se redimirem do grande erro cometido em 2014, quando elegeram aquela bisca do Lasier Martins.

Fiz uma pequena biografia da vida pública do Olívio para que as pessoas conheçam a história de um simples trabalhador que saiu da Bossoroca para se tornar um dos maiores políticos da história do Rio Grande do Sul.

Olívio de Oliveira Dutra nasceu no município de Bossoroca/RS em 10 de junho de 1941. Nos tempos de ginásio era chamado de NEGO OLÍVIO. Torcedor do Inter, é formado em Letras pela UFRGS. Foi funcionário concursado do Banrisul (aposentado). Casado com Dona Judite (in memorian), que sempre o acompanhava nas andanças políticas.

Começou sua carreira política no Sindicato dos Bancários onde liderou várias greves. Se elegeu deputado federal pelo PT em 1987. Foi prefeito de Porto Alegre em 1989 onde deixou a sua grande marca: o ORÇAMENTO PARTICIPATIVO. Foi Ministro das Cidades no governo Lula em 2003 e governador do Rio Grande do Sul, em 1999.

Neste findi, Olívio Dutra veio fazer campanha aqui na nossa região, em Erechim. Aos 81 anos, o Galo Cinza, como também é conhecido, esbanja vitalidade. Imaginem viajar por todo Estado numa rotina frenética que começa cedo e termina tarde da noite.

Sem falsa modéstia, é um privilégio conhecer e fazer campanha para o Olívio.

O carisma dele dispensa discursos inflamados. Com sua fala mansa e poética ele hipnotiza a plateia.

A concorrente mais conhecida do nosso Galo Missioneiro é a morninha da Ana Amélia que se elegeu e sumiu nos 8 anos como senadora. Alguém lembra dela durante a pandemia ou agora quando 33 milhões de brasileiros passam fome? É apenas mais uma cria da RBS. Um Lasier Martins de saia.

O outro adversário, Hamilton Mourão, é pior ainda. É um general que se diz carioca, muito vadio e torcedor do Flamengo. Parece até que tem um Sonrisal no bolso de tanto que chia quando fala. Não fedeu e nem cheirou como vice do Tchutchuca do Centrão.

Ele é daquela turma de milicos privilegiados que ganham mais de 100 mil reais mensais enquanto o povo não tem nem emprego.

Portanto amigos, se vocês forem escolher um dos três candidatos ao Senado do RS, pelo time de futebol vai ficar assim: Olívio Dutra (colorado); Ana Amélia (colorada) e Hamilton Mourão (flamenguista). O meu Grêmio não tem nem candidato a senador.

Hélio Ortiz é professor, produtor cultural, e foi Secretário Municipal da Cultura e Esporte de Viamão durante os governos do PT.