A figura é conhecida: homem, branco, camisa polo. Ou então mulher, terninho, cabelo “karen”.

Começa a palestra. Bracinhos nas laterais da cintura, mãozinhas à frente. É a “postura da excelência”, ensinada em todo curso para palestrantes.

O bonequinho começa a falar.

O ritmo de fala quer dar um tom épico à frase de efeito especialmente pensada para ser uma “provocação”.

A figura imagina que é Barack Obama, falando para a multidão.

Ou então, que é o Primo Rico fazendo um de seus vídeos sobre a mágica dos investimentos.

O que sai, em seguida, é um papo de guru. Tudo fruto de muita leitura, de muito estudo.

“Pai rico, pai pobre” – ah, que livro! Que livro!

Nem Cervantes criaria uma obra tão primorosa.

E tome papo sobre sucesso, empreendedorismo, mindset vencedor.

Está aí o esquema completo, um plano perfeito de vida:

Os segredos das mentes milionárias;

Dez regras das pessoas bem-sucedidas;

É tudo muito claro. É tudo passo a passo. E é tudo muito parecido.

É isso aí…

O empreendedorismo virou uma religião.

É como o movimento pentecostal: existem igrejas diferentes, cada pastor tem seu rebanho e sua pregação, com detalhes que agradam a porções diferentes do público-alvo.

E exatamente como as religiões, o “empreendedorismo pós-moderno” tem seu vocabulário, seus mandamentos, sua lista de pecados. E sua promessa de salvação: os que seguirem fielmente a Palavra ascenderão a um paraíso pessoal dentro do grande, justo e divino esquema capitalista.

É o Reino dos Céus – mas os eleitos usam sapatênis e, ao invés de carruagens nas nuvens, transitam por aí de Jeep Renegade.



Tome vergonha na cara e fique rico!

Se Jeff Bezos fez, você também tem a obrigação de fazer.

Os fracassados vão te dizer que, para um cara ficar bilionário vendendo tranqueira na Internet, tem que existir milhões de pessoas comprando.

Os fracassados vão te dizer que, para o dono da indústria ganhar dinheiro, tem que haver uma massa de trabalhadores se ferrando no chão de fábrica.

Os fracassados vão te dizer que a riqueza do fazendeiro é feita do excedente de valor produzido pela peonada.

Em resumo, os fracassados vão te dizer que para uma pessoa ser super rica, é preciso que haja uma massa de pobres e remediados produzindo riqueza.

Bobagem!

Esqueça esses filhotes do marxismo!

A riqueza é infinita. Basta “virar a chave”, fazer curso de mindfulness, pensar fora da caixa, sair da zona de conforto. Despertar o leão interior.


Acorde cedo

Todo bilionário acorda de madrugada.

Tudo bem, o professor que pega dois ônibus para ir dar aulas e o tiozinho que vende picolé na praia também acordam, mas nós não estamos falando dessa gentalha.

Estamos falando em Elon Musk. Ele acorda cedo. Acorde também.


Sacrifique o hoje pelo amanhã

Quem precisa de memórias, de momentos, de vida?

Quem precisa de amigos ou de família?

Faça uma vasectomia aos 18 anos. Amarre as trompas. Filhos dão gasto.

Não compre sua casa própria. More numa caixa de papelão alugada. Coma arroz puro. Não saia para festas. Não viaje.

Ame seu trabalho. Se mate. Dê tudo de si.

É uma lei natural do mercado capitalista: quando uma empresa fatura mais, o patrão sempre reverte esse dinheiro em aumentos de salários, ao invés de botar o lucro no próprio bolso.

Então, ame seu patrão. Dê sua alma por ele.

Trabalhe, trabalhe, trabalhe. E poupe.


Quite suas dívidas.

É isso aí. Você só tem dívidas porque quer. É um problema espiritual, uma doença do pensamento.

É algo como fumar ou beber – largue de ser mal acostumado.

Olhe toda manhã para o espelho e repita cinco vezes: eu não sou endividado.

E plim! Quitou. Dívida zero. Fácil assim.


Invista.

Bote dinheiro na Bolsa, você vai ficar rico.

Qual dinheiro?

Ora, pare de gastar com supérfluos.

“Eu só gasto com comida e contas básicas” – papo de acomodado!

Você precisa abandonar essa mentalidade de escassez e ter uma mentalidade de abundância!

Leia O Segredo!

Ainda não sobrou dinheiro?

Coma menos, deixe cortarem a luz. Dê seus filhos para adoção.

Arrume um jeito de botar 200 reais todo mês no CDB.

Logo você estará vivendo de renda, amiguinho. Pode confiar.


Não ande com seus amigos ralé

Você se torna a média das seis pessoas com quem mais convive. Então, seja amigo apenas de bilionários. Não perca tempo falando com a gentalha.

Mora na vila? Dê um jeito de passar os finais de semana longe dela.

Vá jogar golfe no clube da elite.

Grude nos endinheirados.

Gaste o que não tem para poder frequentar espaços do high society.

Seja piolho de rico e logo a mágica começará a acontecer.


E o mais importante…

Não importa que você tenha nascido pobre, que a economia esteja em ruínas, que a fase atual do capitalismo esteja levando a sociedade a um ponto crítico de concentração de renda.

Não interessa se você já trabalha 16 horas por dia apenas para não morrer de fome, igual a um operário do começo da Revolução Industrial, em mais de um emprego ou até muitas vezes em um serviço “uberizado”, sem direitos trabalhistas.

Nada disso importa.

Se você não está vivendo de renda, se não está nadando em dinheiro, a culpa é sua.

Única e exclusivamente sua.

Esqueça qualquer ideia de solução coletiva.

Não questione o sistema.

Arrume a sua cama.

O Deus Mercado é bom, misericordioso e justo. Você é que é um pecador.

Arrependa-se!

E se isso não adiantar – se nada mudar – ore com ainda mais fervor!

“Ó Deus Mercado, grandioso Senhor, me perdoa pois eu ainda não alcancei meu primeiro milhão.”

Aleluia!

Escritor, jornalista, videomaker e servidor público. Autor de "Política para Iniciantes" de outros livros. Às vezes, assusta as pessoas por falar o que pensa. É o profeta que uma geração alienada pelo TikTok precisava. Ainda será Presidente do Brasil (ou não).