Sejamos francos: quem é que entra em uma disputa para perder?

Não precisa pensar muito, eu te digo: entra, quem não tem NADA a perder.

Não que Simone Tebet, por exemplo, não tivesse chances de eleger-se deputada mas, convenhamos, ela é filiada ao MDB – partido querido, histórico, velho de guerra mas, SEJAMOS HONESTOS, um partido que VAI estar no governo, não importa quem ganhe.

A candidatura dela vem para fortalecer a legenda, que ainda não se acostumou e nem quer se acostumar com o fato de não ser mais a maior bancada do Congresso.

Agora, Moro e Dória pularam fora.

Os dois lançaram-se como uma terceira via entre Lula e Bolsonaro. Foram “tentiadas” válidas. E se, de repente, descobrissem um eleitorado farto do bate-boca esquerda-direita? E se o povo, enxergando uma opção mais “de boas”, resolvesse aderir?

A questão é que a “terceira via” não bombou.

O eleitor imaginado não estava lá. Era apenas uma miragem.

Fazem muito bem Dória – que deve voltar para casa, para nadar na sua piscina de dinheiro – e Moro, que assegura um lugar no Congresso pelo União Brasil.

Sabe quem é que segue apostando na Terceira Via? Ciro Gomes.

Porque Ciro Gomes é brasileiro e não desiste. No caso dele, nunca.

Verdadeiro herdeiro da legenda e do modus operandi de Leonel Brizola.

Talvez Ciro sonhe em repetir o saudoso Brizola em tudo, e também virar estátua numa rua da leal e valerosa Porto Alegre, para ser lembrado pra sempre como o “melhor presidente que o Brasil poderia ter eleito, mas não elegeu”.

E só para quebrar o “gelo” – para finalizar a coluna – vou contar uma historinha:

Pinky vira para o Cérebro e pergunta: “O que é que faremos nessa eleição?”

E Cérebro, o ratinho obsessivo, responde: “O mesmo que fazemos em TODAS as eleições: tentar ganhar a Presidência!”

O Cérebro, neste caso, é ninguém menos que…

Ey Ey Eymael! O democrata cristão!

Com a mesma determinação, as mesmas ideias e, mais importante, o MESMO JINGLE de 1985!

Agora, chega.

Um beijo no teu coração, e até a próxima!

Escritor, jornalista, videomaker e servidor público. Autor de "Política para Iniciantes" de outros livros. Às vezes, assusta as pessoas por falar o que pensa. É o profeta que uma geração alienada pelo TikTok precisava. Ainda será Presidente do Brasil (ou não).