Um aviso: se tu és um petista “floco de neve”, daqueles que não aceita falar abertamente sobre oportunismo eleitoral, ou se tu és um crente daqueles que se recusa a ler opiniões divergentes, é melhor fechar esta coluna agora.

Aos corajosos, lá vamos nós:


Lula se instrui para ganhar voto nas igrejas

Notícia da Folha de São Paulo: um cara conhecido como “o pastor do PT” leva a Lula dicas para ele falar com o segmento evangélico.

Falou de tabus, pediu pro Lula respeitar a “visão” dos caras sobre homossexualidade, essas coisas.

Mas o papo sério mesmo foi sobre cascalho, ou seja, bufunfa.


As igrejas querem é grana

“o pastor reforçou que evangélicos abriram templos como nunca durante administrações petistas, e eles iam muito bem, obrigado”

A frase acima é da matéria. Mais adiante, vemos o sujeito, sem vergonha alguma, instruindo o Lula a chegar na pastorada:

“A pergunta é muito simples: o que na sua vida melhorou? Quanto na sua igreja tinha de receita, na época de Lula e Dilma, e quanto tem de receita hoje?

Vocês leram isso com atenção?

Respeitar os dogmas e as ideias dos caras (mesmo quando esbarram no puro e simples preconceito) alivia a rejeição. Já a pauta que ganha o apoio é mesmo a grana.

Labaxúrias, labaxúrias.


Rui Costa Pimenta

Todos os sábados, 16h, eu tenho um programa certo:

Eu continuo fazendo o que iria fazer (tipo limpar o pátio), mas fico escutando, de canto, as análises políticas do presidente do PCO, Rui Costa Pimenta.

É uma experiência surreal.

O “papa” do Partido da Causa Operária consegue te levar por uma montanha-russa de emoções.

Ele mistura umas ideias muito lúcidas, análises com lógica perfeita, e tem coisas que te fazem rir. Algumas delas te deixam simplesmente paralisado, sem acreditar.

Recomendo.


Rui é o nosso Pastor

Agora pensando bem, assistir às Lives do PCO se assemelha muito a ir numa igreja.

Eu já fui MUITO a igreja. Eu sei como é que é.

Fica o pastor lá na frente, largando um “mix” de ideias – aí tem umas coisas bem sensatas, tipo “amem uns aos outros como eu vos amei”, e tal… e de repente PÁ! surge um genocídio “do bem”, um cara vivendo dentro de um peixe, uma pessoa virando sal, ou alguém morrendo algum motivo arbitrário.

A diferença é que como as ideias do PCO têm uma base laica, tu podes adotar para ti as coisas lúcidas que ouve por lá sem ter que fazer força para acreditar em um monte de lendas importadas do Oriente Médio.

E pelo que sei, no PCO não cobram dízimo. Talvez role algum Fundinho Eleitoral, mas aí… já é outro papo.


Rui é o nosso Pastor 2

As eventuais loucuradas nem são “culpa” dos pregadores:

As coisas mais “fora da caixa” que o Rui diz são quase sempre bem embasadas em uma visão marxista-trotskista “raiz”. ou seja, quando há doideiras, elas vêm de longe. As limitações de uma ou outra visão são as limitações que o Marx tinha na época dele, ou que o Trotsky encarou também por viver em uma realidade diferente da nossa.

E nisso, o sumo pontífice do PCO é muito semelhante aos pastores: eles dizem as coisas que dizem não porque as inventaram, mas porque alguém as escreveu na Bíblia– e não dá para esperar rigor científico nem grandes pendores humanistas de um bando de proto-filósofos de uma civilização mal saída da vida nômade, lá na Idade do Bronze.


Para concluir

Na real, tem uma questão que talvez explique todo essa desajuste do nosso amigo Rui e dos líderes crentes… é que nem o marxismo-leninismo-trotskismo e nem a Bíblia foram feitos para os fins que acabam tendo no Brasil.

Jesus teria corrido a maior parte dos pastores de hoje em dia. E CORRIDO NA BASE DA PORRADA. Afinal, eles são os novos “mercadores do Templo”.

E o Lênin – sim, porque se existe uma figura análoga a Jesus na “religião laica” do comunismo, com certeza é o camarada Ulyanov – o Lênin ficaria PERPLEXO de ver seus tataranetos fundarem um “partido socialista e REVOLUCIONÁRIO” para se meter nas eleições da tal “democracia burguesas”. Talvez os corresse na porrada também.

Escritor, jornalista, videomaker e servidor público. Autor de "Política para Iniciantes" de outros livros. Às vezes, assusta as pessoas por falar o que pensa. É o profeta que uma geração alienada pelo TikTok precisava. Ainda será Presidente do Brasil (ou não).